Páginas do Blog

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Ah, o amor...

O primeiro olhar.
Então tá. Ele se aproxima, ou ela, tanto faz. Olá, olá. Primeiras palavras trocadas. Olhares misteriosos. Como essa mulher é misteriosa. Jogada estratégica de cabelo para o lado. Troca a latinha de cerveja de mão, a outra mão brinca na cintura dela. Ah, o flerte...

Idades reveladas, nomes decorados, relacionamentos passados no passado. Olhares saem dos olhos e passam para as bocas. Que bela boca tem essa mulher. Que boca tem esse homem. O primeiro beijo. Línguas tentando entrar em sintonia. Guerra de línguas.

Os beijos se encaixam, as mãos apertam a nuca dele, as mãos apertam a cintura dela. Quatro mãos deslizantes. Pode acontecer algo mais? Pode, mas espera semana que vem, pensa ela.
Ele não para de pensar nela. Ela olha a todo minuto atualizações do Facebook. Pontadas de ciúme. Ah, a paixão...

Hoje acontece. Calcinha devidamente escolhida, depilação feita no dia. Camisinhas na carteira, desodorante em dia. Oi. Oi. Pensei em você essa semana. Eu também. Os corpos não agüentavam mais. Venha. Vou. Sintonia total. Noite inesquecível. Ah, o tesão...

Namoro. Estão em um relacionamento sério. Fidelidade, cumplicidade, promessas. Juras de amor, juras de eternidade. Quem é você? Como não te conheci antes? Você fica linda brava. Você fica lindo com ciúme. Ah, a expectativa...

Encontrei o ex hoje. Falei com a ex ontem, ela tá bem. A ex é interessante, ela não reclama disso. O ex trabalhava mais, tinha mais futuro. A ex se cuidava mais. Não se pode ser amigo de ex? Larga de bobagem. Oi ex, pois é, briguei com ele ontem, ciúmes de você, acredita? Bebidas de cá, lembranças de cá também. O ex é bem melhor. A ex é o que eu sempre sonhei. Adeus, não dá mais, cheguei no limite. Adeus, não a esqueci, eu me enganei, sou eu o problema, é ela quem eu sempre amei. Ah, a ilusão...

Mas como? Como eu não me lembrava desses defeitos? Como eu me esqueci que ele só pensava no trabalho? Ela só pensa nas amigas, eu sabia disso! Dá onde ele tirou esse beijo, cadê aquele beijo que eu tanto gostava? Mas que menina chata, por isso era ex! Onde você está numa hora dessas? Cadê ele? Será que está feliz nos braços dele? Sinto falta da sua companhia... O que eu fiz? Ah, o erro...

Ainda te amo. Eu não deixei de te amar. Temos volta? De volta aos beijos, de volta às mãos deslizantes, de volta às promessas. O passado está no passado. Recomeço. Ah, o perdão...

Rotina. Gordurinhas. Espinhas. Ela não tinha tantas espinhas. Careca. Ele não tinha essas entradas. Ele fala demais. Ela grita demais. Ela dorme demais em todos os filmes que eu escolho. Ele só ouve as mesmas músicas chatas em 15 versões diferentes. Eu não suporto mais. Eu preciso de ar. A pasta de dentes, sempre amassada. Esse humor inconstante dela, até quando? Ah, a verdade...

Desculpa por ontem. Hoje você escolhe as músicas. Vou tomar floral pro meu humor, tá bom? Vou te escutar mais. Vamos ver o filme de luz acesa pra eu não dormir? Eu que peço desculpas. Não fico sem você. Eu já vi o que é ficar sem você, não quero mais. Vou te entender mais. Eu também. Te amo. Te amo mais. E essa pasta de dentes? E o floral que você ia tomar?

Ah, o amor...

3 comentários:

  1. Agradável de ler.
    Verdadeiro? Talvez.

    Em grande parte, acho que a verdade pode ser encontrada por cada um em algum momento.

    Hoje li sobre um revés de amor e agora leio sobre ele de novo, mas com uma visão de comédia romântica de bom gosto.

    As clássicas idas e vindas, as temperaturas, a conquista inicial e todos os entremeios de uma relação nova-antiga.

    Amar continua sendo aceitar.
    E aceitar é fácil e difícil, só depende do lugar em que o relacionamento se encontra... se é no toque de copos ou na escolha do floral.

    Parabéns!

    ResponderExcluir