Páginas do Blog

quarta-feira, 18 de maio de 2011

O peito que não pode amamentar


A natureza é perfeita demais. Repare só:

Primeiro você sente atração por uma pessoa e ela por você. Depois o cheiro daquela pessoa te encanta mais ainda e o seu encanta tal pessoa. Beijo pra cá, mão ali, beijo pra lá.

O pinto, pênis ou bilau, como preferir, endurece e sua perereca, vagina ou bucetinha, como preferir, se lubrifica toda. Como uma mágica, o pênis se encaixa perfeitamente nela. Vai e vem, vai e vem e como outra mágica, o bilau solta um líquido branco que é jorrado para dentro da mulher e lá dentro mesmo acontece um monte de coisas tipo fecundação, formação do feto, do bebê, essas coisas.

A perfeição não pára por aí. O peito da mulher se enche de leite. Isso, gente, leite! Tipo o da vaquinha, mas é para o bebê se alimentar, não o bezerro. Tudo isso é maravilhoso. E olha que nem mencionei o orgasmo.

E então, a mulher amamenta o bebê. Tão natural, tão normal, tão bonito. Ainda quero amamentar muito um bebê. Mas a vida é uma caixinha de surpresas, não é? É.

Aí uma mãe resolve amamentar seu filho em um local público e bota o peito pra fora da roupa. Poderia ser normal, mas virou uma polêmica. João Pereira Coutinho que o diga.

Esse cara não gosta de ver peitos sendo sugados por bebês. Para ele, isso deve acontecer entre quatro paredes. Igual sexo e masturbação. Pior! Igual cagar, segundo ele mesmo. Eu não estou inventando nada.

Parece que para ele, amamentar é a mesma coisa de trepar. Ele até sugeriu que todos trepássemos em público. Apesar de eu ter achado essa idéia um tanto interessante (não ia ser legal ver um povo transando ali no banco de uma praça?), uma coisa, não tem nada a ver com a outra. Primeiro que amamentar não faz a gente gemer, não faz barulho e não incomoda ninguém. Segundo que amamentar é amor e trepar, nem sempre. Terceiro é que amamentar é alimentar sexo é... é... é qualquer coisa, menos alimentar.

Gente, mas que cara idiota. Ele deve ter sofrido, sua mãe deve ter negado o peito pra ele enquanto ele chorava de fome no berço. Acredito que ele pensa que peito só serve pra decote, silicone e sexo, nada mais.

João Pereira Coutinho, que mente pequena a sua. Amamentar é coisa da natureza mesmo, independente do local, cor ou religião. É um ato de amor que não precisa necessariamente ser feito entre quatro paredes. Não desconte seus traumas de infância nos peitos alheios. Onde já se viu um peito não poder amamentar?



Leia o tal João Pereira: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/joaopereiracoutinho/916122-mamonas-celestinas.shtml



3 comentários:

  1. Carol, foi revoltante esse cara, né? Ngm merece!
    Não resisti e hj eu postei tbm sobre o assunto. E te citei lá no finzinho, pra quem ficou revoltado venha cá ler seu texto, que tem uma pitadinha de humor (não tem jeito, né?) mas é sério!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Mto bommm o texto!!!
    Adoreiii!!! Parabéns!
    Acho q a FOLHA deveria publicar todos sobre esse mal-amado!
    Bjão
    da Li

    ResponderExcluir
  3. Adorei o blog.
    Passa pra conhecer o meu.
    www.ateliemaribaby.blogspot.com

    ResponderExcluir